Ciclo de palestras encerra comemorações do dia mundial da conscientização do autismo em Balsas

Ciclo de palestras encerra comemorações do dia mundial da conscientização do autismo em Balsas

O ciclo de palestra com roda de conversa realizado na manhã deste sábado (27) no auditório do Colégio Marista – Balsas/MA, encerrou as comemorações do dia municipal e mundial de conscientização do autismo comemorado em 02 de abril.

O evento organizada por um grupo de coordenadoras de escolas públicas municipais apresentou as seguintes palestras e palestrantes:

Intervenção Nutricional no TEA, Viviane Fonseca.

Inclusão Escolar como parte do processo terapêutico na pessoa com autismo – Benilde Miranda.

Pré-requisitos para a fala no autismo – Angelika dos Santos Scheifer

Autismo, conexão cérebro-intestinal – Isaac Tenório

185 pessoas foram inscritas para o evento, público composto por professores da rede pública e privada, estudantes de pedagogia, enfermeiros, pais e familiares de pessoas com autismo.

Foi uma iniciativa de escolas da rede municipal de ensino que nos convidaram e de forma espontânea viemos colaborar com nossos conhecimentos com essas pessoas que estão hoje aqui. É um público que realmente veio porque quer a informação e isso é muito importante e a gente sabe que essa informação será replicada, será levada a frente e o meu tema trata-se da inclusão escolar e ainda temos muita dificuldade para se fazer inclusão escolar. Esse tema é esclarecedor”, destacou a Dra. Benilde Miranda, terapeuta e especialista em autismo.

A fonoaudióloga Angelika dos Santos Scheifer, destacou a riqueza do evento. “O fato é que crianças com autismo fazem parte da nossa realidade. No dia-a-dia temos que estar preparados a nos deparar com um colega no trabalho, na escola, um filho de uma amiga e etc. Então é importante que possamos preparar os educadores, os pais para saber minimamente como reagir; saber as características, como ajudar, quais as possibilidades de tratamento e isso é muito importante e o que o evento trouxe hoje. Falamos sobre os pré-requisitos para a fala nos seguintes âmbitos: o que nós precisamos oferecer para essa criança? Como preparar o meio que essa criança vive? E o que devemos observar de habilidades que essa criança possui para que a fala possa vir de forma natural e mais fácil. Pois existem muitos que nunca virão a falar, mas se nós não dermos a possibilidade pouquíssimos vão conseguir falar. Mas do que falar, se comunicar! Porque para aqueles que a fala não vem nós desenvolvermos outros recursos. Não é preciso que essa criança se torne um adulto totalmente dependente e incapaz de se fazer entender”.

Maria Alice de Carvalho Barros, coordenadora da Centro de Ensino Aprender Pensando destacou a importância para a sociedade e para a escola de palestras como essas. “Só conseguiremos trabalhar as dificuldades que temos dentro das escolas com informações para os profissionais de educação. Muitas crianças com autismo são identificadas na escola, porque se percebeu alguma coisa e se chamou atenção dos pais que buscam ajuda médica especializada e os professores são a chave e a educação é base do futuro”.

Para o segundo semestre existe a previsão de fazer uma nova palestra para capacitação das pessoas envolvidas com portadores do autismo o objetivo é que esse ciclo aconteça pelo ao menos uma vez por semestre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *